Arquivo da categoria: Azura

Primeiro Capítulo de Azura – Epitáfio

Em 16 de março de 1989 aconteceu o maior holocausto da historia da humanidade, quando o Mago Sansara desencadeou o evento conhecido por muitos ate hoje como apocalipse, onde mais de 39 milhões de pessoas foram mortas brutalmente num plano chamado por ele de a “Renovação do Ciclo da vida”. Diversos heróis do mundo tentaram lutar contra a catástrofe provocada por Sansara. Mas somente com a liderança do Capitão Thunder, o Detetive, Partícula, Cherry, Magnífico e o Total conseguiram elaborar um plano capaz de impedir seus planos, e em uma luta contra eles, partícula conseguiu o matar Sansara sendo assim declarado pelo próprio como o herói mais forte do mundo. Esses heróis depois disso formaram a liga de heróis mais poderosa, mais popular e mais rica do mundo.

– E quem sou eu? Meu nome e Fahrenheit filho do Detetive e da Harpia! Ah quem diga que não sou tão bom quanto eles, mas…

Os pensamentos de Fahrenheit são interrompidos pelo barulho da porta sendo aberta por um homem magro de cabelos pretos visivelmente tingidos e de bigode, acompanhado de dois brutamontes armados, que chegam provocando Fahrenheit que se encontrava amarados em uma cadeira em meia uma sala escura e úmida.

– Fala aí moleque esta fazendo o que pensando na morte da Bezerra ai?

Fahrenheit de cabeça abaixa levanta a cabeça da um leve sorriso de deboche e diz ao homem magro que o interroga.

– Fala aí coisa feia há há.

– Filho da mãe!! Responde o homem dando um tapa no rosto de Fahrenheit.

– Vamos me diz agora moleque! O que você estava fazendo falando com as pessoas aqui do nosso bairro?

– Eu? Sei La cara estava investigando a máfia de vocês quem sabe.

O homem furioso com a resposta vaga de Fahrenheit, da voltas tenso em meio à sala enquanto resmunga. – Ele esta investigando nossa máfia, ele esta investigando nossa máfia. Quando de repente o homem para e interagem com um dos brutamontes armados que esta parado na porta da sala o cutucando forte no peito com um sorriso forçado

– Esse cara disse que esta investigando a gente há há! O que você acha disso Cigano?

O guarda costas confuso sem saber o que responder olha pro outro que o responde com outro olhar de duvida, mas antes que o guarda costa se atreva a falar o homem magro que interroga Fahrenheit vira num acesso e fúria e o golpeia novamente com um tapa na cara que chega a sangrar.

– COM QUEM VOCÊ FALOU? O QUE VOCÊ DESCOBRIU SOBRE NÓS? E BOM VOCÊ FALAR SE NÃO ESSES DOIS CARAS AQUI ATRÁZ DE MIN VAO TIRAR ESSE SEU SORRISINHO DE MERDA DA CARA!

Fahrenheit olha cospe o pouco de sangue que esta na sua boca e responde calmamente ao homem magro que o interroga.

– Calma pra que tanta violência? Não descobri nada demais sobre vocês já sabem, vocês são só uns contrabandistas, mas merda desse lugar.

A o ouvir a resposta de Fahrenheit o homem magro, solta uma gargalhada tão forte e descontrolada que chega a contagiar os brutamontes parados na porta e tira o sorriso do rosto da face de Fahrenheit e o substituído por uma face decepção.

– Moleque agora eu vou poderei te matar com gosto, percebo agora que você não e nem 10% do investigador que seu pai foi. Eu um contrabandista de merda? Moleque eu sou chefe da maior milícia de transportes do Rio de Janeiro há há

Depois de falar isso o homem da ordens ao brutamontes colocado na porta para executar Fahrenheit dizendo

– Apaga esse moleque ele não sabe de nada.

Mas Fahrenheit o interrompe rindo

– Putz tu e um pateta mesmo, quando não faz merda na entrada faz na saída? As minhas fontes estavam certas você não consegue fechar a porcaria da boca há há.

O homem furioso novamente tenta dar um soco no rosto de Fahrenheit só que desta vez o rosto de Fahrenheit e coberto por uma chama negra que provoca uma queimadura na mão do homem o fazendo recuar e antes que os guarda-costas do homem pudessem reagir Fahrenheit da uma baforada de fogo na única lâmpada da sala deixando a mesma em completo breu, assim se desamparando e imobilizando os homens.

No meio da bagunça causada pela escuridão líder da milícia tenta fugir, mas logo e pego por Fahrenheit que acende uma pequena chama na ponta do seu dedo indicador iluminando o local, mas sua chama não e uma chama comum, mas sim uma chama negra como a noite, mas tão intensa e luminosa quanto uma chama comum. E diz ao homem

– Relaxa não precisa se cagar nas calças não vou te matar, vou te colocar atrás das grades e agora com sua confissão gravada já estou uns cinco passos na sua frente, então aproveita o resto do dia porque agente ainda vai se esbarrar muito.

Ao soltar o homem Fahrenheit sai do local onde estava sendo mantido e percebe que esta por volta de umas 18h00minh e segue em direção ao seu carro que estava estacionado a algumas quadras de lá, mas antes de entrar no carro com a sensação de dever comprido Fahrenheit e surpreendido por uma ligação de seu melhor amigo José e vê que havia, mas de 15 ligações não atendidas dele.

– Fala aí cara como você esta?

– Melhor impossível, acabei de conseguir uma confissão mole do pateta do Meirelhes.

– Putz cara então tu não esta sabendo?

Ao sentir o tom tenso de Jose Fahrenheit pausa por um minuto temendo qual seria o motivo da ligação de seu amigo, mas mesmo receoso ele o pergunta.

– Não sei o que cara?

Jose da uma pausa dramática do outro lado da linha como se não tivesse palavras.

– E que… Cara não sabe como te falar isso… E que…

– Caramba cara para de embolação e fala logo?

– Não sei bem como, mas saiu cedo nos noticiários encontraram o corpo do seu pai no centro da cidade, acho que foi jogado de um prédio não sei muito bem estou te procurando a horas cara, mas nada de você atender ao telefone, Fahrenheit você tai?

– Ei isso não e algo que se brinque…

Mas antes que termine a frase Jose o interrompe em um tom quase que agressivo se deixando levar pelo nervosismo

– Isso não e brincadeira!

Fahrenheit ouve perfeitamente, mas por um momento e tomado pelo choque da noticia e não o responde.

– Fahrenheit! Fahrenheit você tai? Fernando!

– Estou aqui cara, foi mal depois eu te ligo.

E antes que Jose possa falar mais alguma coisa Fernando desliga o telefone, e entra no carro em silencio como se nada houvesse acontecido, mas ao ligar o radio e começa a ouvir em todas as estações a noticia da morte do maior Super herói brasileiro de todos os tempos no inicio ele tenta evitar a noticia trocando de estação, mas parece que todas as estações são a mesma apenas falando do mesmo assunto então ele deixa em uma radio qualquer enquanto dirigi o carro em silêncio, mas um silêncio tão pesado que chegava a ser mais perturbador que qualquer barulho.

Ao chegar a sua casa ele encontra seu amigo Jose que o abraça e ele recebe o abraço sem reação e permanece calado.

Mas antes que José pudesse falar algo, Vitória entra pela porta e grita para em direção a Fernando para tentar consola-lo.

– Amor como você esta?

– Não sei explicar bem, sei La acho que ainda não digeri bem isso.

Vitória  o abraça de um jeito forte, mas carinhoso, que simplesmente recebe o abraço em silencio.

Vitória  sorrateiramente pergunta a José, como ele ficou sabendo do acontecido.

– Não precisam ficar ai sussurrando estou ouvindo tudo que vocês estão falando, me diz Vitória o que aconteceu, ate agora não parei ao certo pra saber o que houve acho que a porada foi forte de mais, e acabei me esquecendo de avaliar os fatos antes de sair chorando com uma menina.

Vitória  meio surpresa com a atitude de Fernando, fica um pequeno período em silencio como se estivesse pensando ate responde-lo.

– Encontraram seu corpo no centro aparentemente foi empurrado de um prédio de lá.

– Quer dizer homicídio?

Vitória  se assusta com a pergunta e acaba respondendo com outra pergunta.

– Como assim você quer saber se o mataram? Não sei ainda estão investigando sei La não tenho certeza.

– Calma, só estou perguntando se foi um homicídio, e pelo que você descreveu realmente e um.

Jose já um bastante tenso pela situação diz para Fernando

– Ei cara tira esse cara de Sherlock do rosto, não sei se você percebeu, mas você não esta entrando num caso novo seu pai que morreu daqui a pouco vai chover de imprensa aqui, e você vai ter que pensar no que vai ter que falar pra eles e como vai organizar o enterro e a última coisa que você vai falar agora vai ser que tem um caso.

Vitória fica perplexa com a reação de José e teme que Fernando entre em uma discussão com ele por isso, mas ele simplesmente balança a cabeça e concorda com o amigo e diz.

-Tem razão cara, não sei bem o que estava pensando e muita coisa pra um dia só. Vou dar uma descansada amanhã agente vê melhor as coisas.

– Ei cara você tem que reconhecer o corpo não da pra você ir descansar agora cara, você…

Fernando o interrompe fazendo um sinal com a mão para que pare de falar enquanto puxa o celular e observa no seu visor que quem esta ligando Jessica Morgan a agente do Capitão Thunder, ele olha pros amigos procurando em suas feições saber o motivo da ligação, mas Vitória e Jose dão os ombros sem saber então ele atende.

– Alo Jessica qual o razão de sua ilustríssima pessoa estar me ligando?

Do outro lado da linha Jessica finge não perceber o sarcasmo de Fernando, respira fundo e vai direto ao assunto.

– Meus Sentimentos Fahrenheit, estou te ligando pra te informar que já estou cuidando de todos os detalhes do enterro de seu pai, será amanhã as 11h00min horas, Thunder e outros membros da alvorada estarão La.

– Okay. Concorda Fernando do outro lado da linha enquanto desliga o telefone.  Ele olha pra seus amigos e diz.

– E galera amanhã e o dia!

Depois da fala de Fernando o silencio se instala no local, criando um clima totalmente tenso fazendo com que Fernando decida tomar uma atitude, ele se levanta causando surpresa em Vitória  e Jose dizendo me sigam quero mostrar algo a vocês. Ele meio confusos com a situação se entre olham na procura de entender do que se trata, mas mesmo sem entender o seguem ate o porão da casa.

Chegando ao porão eles dão de cara com uma porta enorme de ferro de aparentemente 3 metros de altura por dois de largura com um pequeno teclado para que se digite uma senha de acesso, Fernando tenta acessa-las, mas acaba por errar a senha três vezes então desiste e se vira para seus amigos dizendo.

– Desculpa gente, e que queria mostrar uma coisa que meu pai tinha feito pra vocês, mas deixa.

Vitória na tentativa de anima-lo o manda esperar o segurando pelo braço, vai em direção da porta enfia as duas mãos por dentro da porta fazendo dos buracos e depois a puxa a arrancando a enorme porta de ferro como se fosse uma pequena porta de palha.

Ao ver o que Vitória havia acabado de fazer Jose comenta em tom irônico.

Oh portinha fraca se soubesse que era fácil assim eu a derrubava também.

Vitória o olha e responde. – Tem certeza?

– Calma, só estou brincando.

Vitória joga a porta para trás enquanto eles entram na sala que estava por trás da porta o estrondo causado pelo contato da porta com o chão passa despercebido pelos seus ouvidos, pois estão bem mais interessados com o conteúdo da sala do que aparentava possuir por volta de 80 metros quadrados, com o mapa mundi pintado nas paredes como se estivessem no centro da terra onde todos os países podiam ser visto por todos os lados da sala no canto da direta estava um vidro com diversas armas de vários calibres expostas.

– Meu pai construiu esse lugar em três dias, ele costumava chama esse lugar de MUNDO. Diz Fernando a Jose e Vitória  que continuam a olhar ao redor da sala observando o desenho dos pais que se estendiam por todas as paredes.

– Legal

– Maneiro demais aqui. Respondem Vitória  e Jose respectivamente.

Fernando olha para eles da um sorriso e diz. – MUNDO ligar.

Jose e Vitória não entende muito bem o que ele quis dizer a principio, mas ao observarem que os desenhos dos países que antes eram só pinturas feitas nas paredes saíram e em forma de holograma formaram um circulo em volta deles assim formando um planeta em sua volta e o chão que antes era coberto por pisos transparentes também foram preenchidos pelos desenhos dos países assim formando um mundo inteiro a sua volta e Fernando que controlava tudo isso bem no centro através de gestos como um deus que controla o universo com a palma de suas mãos, ele gira o globo a sua com apenas um gesto com a mão deixando a sua frente à imagem do Brasil e, é um movimento de expansão o mapa do Brasil toma toda sua frente assim mostrando os principais elementos do pais, heróis, vilões lugares já investigados dentre varias coisas.

Nesse momento o computador interage com eles falando.

– MUNDO foi ativado! Novo usuário detectado, por favor, identifique-se.

Jose totalmente impressionado com o que acabará de ver, diz.

– Isso e muito foda e impossível ele ter feito tudo isso em três dias

Fernando da um sorriso de orgulho, mas o computador novamente interage falando.

Novo usuário detectado, por favor, identifique-se.

Fernando observa a grandeza do mundo feito pelos Hologramas que estão a sua volta e responde

– Pode me chamar de Fahrenheit

Manuscritos Coletivos

O fantástico mundo dos livros esta aqui

Autores e Livros

Entrevistas, resenhas e afins

blogdabn

Blog oficial da Fundação Biblioteca Nacional - entidade governamental

%d blogueiros gostam disto: