Arquivo mensal: setembro 2013

Regras Numero Um

O que são essas regras,
Além de conselhos
Dados por quem tem
Certa experiência?
Você esta livre para
Escolher não segui-las.
Mas certamente esta preso
Em suas consequências…
Regra número um:
Não há regras o suficiente.
Ao surgir novas situações,
Surgem as novas regras,
Consequentemente
Regra número dois:
E se essa aqui for importante,
Tanto quanto foi a primeira,
A numeração UM se repete,
Estendendo-se pela lista inteira
Ou então, até que para conselheiro,
As ideias entrem em concordância.
Dessa forma,
As regras número um darão espaço
A uma outra de maior importância
Anúncios

Inspiratione – H.Mendes

 Ela me chama, me grita, me puxa e rasga-me o manto da realidade que me cobre o corpo da cabeça aos pés. Ela não espera, e se a deixo à espera ela berra, até que no fundo da terra ela se enterra e afunda, até não nos vermos mais.

 Sem ela não vivo e ao mesmo passo que sou escravo dela também não trabalho sem sua ajuda.

 Ó mensageira das ideias e histórias fantásticas e romances melancólicos, não vá! Nunca me deixe, não ouse tal coisa, não fuja dos meus braços, mas permaneça a tecer sua força em meu coração.

 Ó forjadora de mundos, ó mãe de todos os seres fictícios, ó rainha de todos os reinos fantásticos, recebe o meu apelo, não se vá! Ajude-me a minhas histórias contar.

 Ó deusa dos escritores, que no mais literal é a inspiração, fique para que possamos arquitetar a maior história já escrita.

O Silmarillion – J.R.R Tolkien (Parte 2)

O Silmarillion-CAPA_PhotoRedukto

Eae galerinha, tudo bom com vocês? Show então… Vamos falar de Silmarillion ! (não diga…)

images (2)SFD

Na primeira resenha (se é que se pode chamá-la assim) eu tinha parado quando Fëanor chegou em Beleriand depois daquela traição lá e tal… (ver: O Silmarillion – J.R.R Tolkien (Parte 1) ) …

Então continuando … Fëanor chegou à Beleriand por meio de uma traição ridícula! Ele marchava com Fingolfin, seu irmão, e com os noldor, mas viram que eram muitos e não daria para atravessar o mar gelado para chegar à Beleriand, então Fëanor fugiu com o seus no meio da noite, deixando Fingolfin para trás…. Ao chegar à costa de Beleriand, Fëanor queimou os barcos dizendo que o que ficou para trás é bagagem! Custava ele mandar alguns de seus elfos irem buscar seu irmão? Nãão… Ele tinha que trair seu parente… Mas aconteceu que, Fingolfin atravessou o gelo e chegou à Beleriand de forma heroica! O que fez Fëanor parecer idiota.

A Criação do Sol e da Lua

Telperion e Laurelin morriam (as duas árvores de Valinor) e como último suspiro de vida, dois frutos nasceram, um de cada… Isil, o Explendor, flor de telperion, sendo a Lua e Anar, o Ouro de Fogo, fruto de Laurelin, o Sol.

À Tilion foi dado o dever de guiar a Lua, e à Arien, o Sol… De forma que ficou igualzinho à mitologia grega com Apolo e Ártemis sendo deuses do Sol e da Lua respectivamente…. Mas diferente da crença grega, Tilion passou a ser atraído por Arien e seria sempre assim, de forma que quando a alcançava, acontecia o famoso Eclipse.

Achei muito interessante essa criação da Luz e do Sol. Bela sacada criá-los a partir das duas árvores que iluminavam toda Valinor.

Três observações

1: Fëanor morreu, deixando o fardo do juramento com seus filhos. (Fardo: Juramento que Fëanor fez e todos que estavam consigo também, que nenhum ser em todo o universo poderia possuir uma Silmaril, pedras que continham a luz de telperion e laureli. Essas pedras foram criadas por Fëanor e estão com Morgoth, que as usa em sua coroa).

2: A chegada dos homens… (Na primeira descrição deles, eles ficam parecendo fraquíssimos, quase insignificantes!)

3: Os naugrim (anões) são amigos de todos que encontram… Show de bola rs!

 

O incêndio de Fëanor foi sua perdição… Bem feito! Os orcs de Morgoth viram a fogueira e se agitaram. À medida que Fëanor ia avançando pelo norte… Porém numa noite os orcs atacaram os noldor de surpresa, mas os noldor venceram a primeira batalha, mas Fëanor seguiu lutando e se viu sozinho entre as linhas inimigas.. Estava cego de ódio e foi ferido gravemente. Celegorm tentou salvá-lo mas ele reconheceu que estava fraco demais. Mas antes de morrer incumbiu seus filhos de cumprirem o juramento (que idiota!)  e gritou o nome de Morgoth três vezes… e morreu!

Não gostei muito dos humanos no livro, pelo menos não na chegada deles… Eram chamados de Enfermiços para vocês terem uma ideia. Eram mortais, diferentemente dos elfos, e fracos. Nunca conheceram os Valar e nem as terras à leste de Beleriand, em Valinor. Eles poderiam ser mais fortes, com vida mais longa e tal… O que custa? É uma história de fantasia, tudo pode pow! rsrs

Não há muito o que comentar sobre os anões… Eles são construtores ótimos, até aqui são bem amigáveis… São os tios Zés de Beleriand.

Heróis

Fingor e Fingolfin são lendários fera. Acuaram Morgoth por centenas de anos cara… Morgoth ou Melkor, é o cara mais maligno de todos os malignos das malignidades de Beleriand! E os dois, sendo elfos, pequenos se comparados ao gigante das trevas, acuaram o cara, cercando ele por todos os cantos… Absolutamente todos os cantos… Sensacional.

Este livro é ótimo, muito bom mesmo. Criar esse mundo da maneira que Tolkien fez, com tantos detalhes e explicar como todas as criaturas foram criadas é magnífico.

A Luta

Finfolfin, esse é um dos maiores heróis que já tive o imenso prazer de ler… Acho que só não supera Ablon e o Batman (ignore). O little elfo foi chamar Morgoth pra mão em Angband fera… Angbaaand! A terra dos malucos malignos mais trevásticos das trevas!

Imagina você, a little man ou woman, saindo do seu reino, no qual você é o rei (dã!), e vai até um lugar pútrido e cheio de mijo, e chama o Senhor das Trevas Negras (dã!) pra fazer na mão. Ai quando ele chega, o cara tem 5215645643$#A13L54T45O4@#P!@R$$A#$C%¨A$5R63A54L56E54O62$@#$@fsdfsd23$@#$ metros de altura e você tem 2 no máximo… Cara, se fosse eu, e tivesse sido stupid até o momento, nessa hora eu … Cagava! Mas não, Fingolfin enfrentou o cara, fugiu dos golpes, mas quando O Trevástico pisou no little elfo, o mesmo furou o pé do negão e o sangue do cara era fumegante fera! CARA! Não dá pra matar um cara desses!

Tenho três palavras para você, Melkor, Vulgo Morgoth: BU-GA-DO! (ignore)

Bem, nessa história ai, o sangue fumegante do Senhor Bugado mata Fingolfin… 😥 (um minuto de silêncio… Por favor, respeitem…)

Pelo menos o Senhor das Águias arranhou a cara do nego e salvou o corpo de Fingolfin. E o Nego mancou para sempre o/…

Bem galerinha, é isso por hoje, deem uma conferida nas outras resenhas, não deixem de comentar e vamos discutir about ae embaixo. Quem concorda que Fingolfin é um dos heróis mais fuedos de toda a literatura dá um gosta ae! Até mais… A parte 3 virám fiquem ligados!

Sussurro Dos Ventos

Água para todo lado
Até onde os olhos podem alcançar
Só voltaremos para terra
Quando todo o mar secar

Água salgada em carne ferida
É árdua de suportar
Ainda assim o mar é calmo
E nos incentiva a sonhar

A vida passa calmamente
Levando consigo qualquer magoa
E não há nada que se possa desejar mais
Do que respirar debaixo d’água

Saqueamos alguns tesouros
Os quais nunca precisamos
O navio enche-se de sonhos
Ao tempo em que velejamos

(…)

Um papagaio enorme
Já gago de velho
Um Capitão Barba Ruiva
Um marujo cego

No rosto um tapa olho
E uma perna de madeira…
Tornar-se um pirata sonhador
É algo para vida inteira

No Sussurro Dos Ventos
Somos filhos do mar
Remamos para velejar
E velejamos para sonhar

Autores e Livros

Entrevistas, resenhas e afins

blogdabn

Blog oficial da Fundação Biblioteca Nacional - entidade governamental

%d blogueiros gostam disto: